Como Passar em Concursos Fiscais

10 dicas para concursos fiscais

1) Estabeleça metas e objetivos

Estabeleça uma meta de tempo de estudo dentro de sua realidade, que possibilite chances de aprovação. Deve-se salientar que para quem está começando os estudos para a Receita Federal, e não tem bagagem de estudos na área fiscal, deve propor pelo menos 1 ano como tempo mínimo de aprovação.

2) Não fique restrito a um único cargo/concurso

Há casos de candidatos que almejam ser fiscal da Receita Federal e a princípio só se contentam a aprovação para esse concurso, fechando a porta para outros fiscos, procedendo dessa forma os riscos de eventuais frustrações são grandes. Deve-se salientar que o concurso da Receita normalmente ocorre com um intervalo considerável, e é eliminatório por disciplina e não por prova, dessa forma, se o candidato não tiver realizado uma preparação adequada em todas as áreas, uma delas poderá ser a razão de sua eliminação. Uma dica é também prestar concursos para o fisco estadual e do ISS da capital do estado. Não há problemas em o candidato ter a Receita Federal como objetivo final, porém, isso não o impede de ter exercido atividades em um cargo fiscal anterior.

3) Conheça os cargos almejados

É interessante que o candidato tenha em mente o trabalho específico que pretenda realizar, além de ter conhecimento de alguns detalhes, como por exemplo, como é o trabalho perto da delegacia da sua cidade, em qual localidade pretende atuar, entre outros.

4) Grupos de estudo e simulados

É interessante também fazer uso de grupos de estudo específicos ou ainda de fóruns sobre concursos, e a partir destes realizar simulados.

5) O que estudar antes da publicação do edital?

Para definir o conteúdo a estudar antes da publicação do edital, é interessante analisar as mudanças de disciplinas ocorridas em pelo menos nos últimos 2 ou 3 editais, e a partir daí juntar um apanhado de disciplinas a estudar, a ESAF, por exemplo, normalmente realiza muitas modificações de disciplinas entre os editais, apesar de manter as matérias base.

6) Não abandone o estudo de nenhuma disciplina

Não é indicado que o candidato abandone o estudo de nenhuma matéria, nem mesmo de Língua Portuguesa. É costumeiro que em um determinado ano a disciplina apareça de forma mais leve e, por exemplo, no concurso seguinte, figure com questões de maior dificuldade, dessa forma, não é aconselhável que o candidato subjulgue qualquer disciplina, até porque no final das contas, ela poderá fazer a diferença em sua aprovação. O concurso da Receita Federal, por exemplo, apresenta uma pontuação mínima por matéria, dessa forma, o candidato deverá dar importância para todas as matérias, mesmo dedicando mais tempo no estudo de disciplinas de maior peso.

7) Alterne o estudo de disciplinas difíceis com outras mais fáceis

Não é recomendável estudar em sequencia 2 matérias que exijam muito raciocínio lógico, por exemplo, se o candidato não sabe muito sobre contabilidade, e estuda 2,5h acerca da matéria, não é indicado que estude posteriormente uma disciplina como raciocínio lógico e matemática financeira, mesmo que este seja um expert em matemática, visto que essas disciplinas são matérias desgastantes. O indicado é estudar alternadamente matérias mais fáceis com aquelas de maior dificuldade, ou ainda matérias em que se tenha uma maior afinidade com as de menor afinidade. Essa separação é fundamental para diminuir o desgaste psicológico.

8) Quantas disciplinas estudar por dia? E até quantas horas por disciplina?

É indicado estudar no máximo 4 disciplinas por dia, realizando intervalos de 10 a 15 minutos entre as matérias, para tomar café, entre outros. Recomenda-se que o tempo máximo de estudo corrido em uma matéria seja de até 2,5h. Há um estudo que afirma que após iniciado o estudo de uma disciplina, nosso cérebro demora de 10 a 15 minutos para aumentar seus níveis de concentração e se ambientar com a disciplina, ou seja, a concentração e absorção nos 15 minutos iniciais são baixas, e em seguida a curva de absorção sobe, e normalmente, para depois de 2,5h de estudo, novamente há uma queda exponencial do rendimento do estudo.

9) Quanto tempo dedicar à teoria e aos exercícios para as matérias do ciclo básico?

No estudo das matérias do ciclo básico, destine 60% do tempo de estudo para a teoria, e 40% para a resolução de exercícios.

10) O que estudar depois da liberação do edital?

Após a liberação do edital, o momento é focar na resolução de questões, e reservar à teoria para matérias onde se tenha menos familiaridade. Resolver questões é um importante ponto dentro do estudo, pois com a resolução se adquire rapidez e confiança.

obs.: É uma tarefa muito difícil um candidato ser aprovado num concurso como o da Receita Federal, começando a estudar apenas depois da liberação do edital, por outro lado, quando se dá o lançamento de um edital como esse, é a hora ideal para o candidato estudar o máximo possível e tentar fazer de tudo para ser aprovado, e apesar da aprovação ser improvável, na pior das hipóteses, ele já irá ter começado a sua preparação para o próximo concurso, e há uma boa previsão de lançamento de concursos da Receita Federal para os próximos anos.

O candidato deve entender que concursos para a área fiscal são realizados todos os anos, e existe um núcleo de disciplinas básicas para essa área, como por exemplo, Língua Portuguesa, Direito Administrativo, Direito Constitucional, Direito Tributário, Contabilidade e Matemática Financeira. Dessa forma quando o candidato estuda, por exemplo, para o concurso da Receita Federal, ele na verdade estará também estudando para diversos concursos ao mesmo tempo.

Não há comentários

Deixe uma resposta