Como ter Foco nos Estudos

Como ter foco para estudar

Muitos questionam como manter o foco nos estudos mesmo após muitas horas de leitura. Uma relativa grande duração do tempo de estudo é plenamente válida, desde que seja produtiva. No transcorrer do tempo, as mínimas distrações podem acabar por impedir que se consigam avanços importantes nos estudos.

Manter a concentração não é ufoco-nos-estudosma questão exclusiva de força de vontade ou de uso de cafeína. É antes de tudo uma questão de manipular os próprios hábito e motivação, de forma a manter a mente focada no objetivo. Portanto, o estudante deve rever as próprias estratégias de estudo e procurar buscar pelo equilíbrio, potencializando a produtividade com um menor gasto de energia.

As estratégias a seguir têm como ponto central utilizar somente o ciclo de motivação natural do estudante, dispensando a necessidade do uso de outros estimulantes, como café, por exemplo. Dentre as diversas táticas eficazes, podem ser citadas: ativação, parada para distração, trabalho ativo e agendamento.

Ativação ou Priming

Também chamada de “priming“, a ativação corresponde à criação do ambiente e rotina de estudo responsáveis por provocar o desejo de iniciar os estudos. Tecnicamente, corresponde ao poder que o evento anterior pode proporcionar ao evento seguinte.

O condicionamento tende a ser entendido de forma negativa pelas pessoas, quando se está postergando estudos ou até mesmo trabalho. Mesmo que o trabalho seja simples e pequeno, pode ser que a pessoa encontre dificuldades para se automotivar e iniciar seu desenvolvimento, uma das principais razões para que isso ocorra é o chamado “priming negativo”. Diante da procrastinação iniciada, os padrões de pensamento são diretamente influenciados, acarretando uma barreira que impede a motivação.

Da mesma forma como o priming negativo interfere inibindo o impulso para o início do trabalho, o “priming positivo” pode perfeitamente criar uma dinâmica para sua execução ideal.

O planejamento das associações e do ambiente podem acarretar um impulso no ânimo, levando ao aumento da produtividade nos estudos com um esforço muita das vezes menor.

Portanto, há formas de se utilizar o priming de forma favorável. Uma delas é acordar cedo e iniciar os estudos de pronto. Assim, longe de estar relacionado ao objetivo de poupar tempo, o ato de acordar cedo tem uma conotação diretamente ligada ao trabalho, porque trabalhar, de maneira geral, requer acordar cedo.

Por outro lado, nos dias de folgas costuma-se acordar tarde. Assim, o ato de acordar cedo funciona como uma forma de enviar um sinal subconsciente ao cérebro, no sentido de que trata-se de um dia de trabalho intenso.

Ainda que o trabalho não apresente complexidade, todavia, o seu planejamento é recomendável, porém, não é salutar a ideia de ficar detido por horas fazendo planos, o ideal é reservar ao menos 10 minutos por dia para rascunhar o que se pretende fazer nas horas que se seguirão, atitude essa que poderá perfeitamente impulsionar a produtividade do dia.

Parada para distração

Entre os longos períodos de estudo, é necessário e estratégico que se façam pequenos intervalos. Um intervalo realizado a cada 1h ou 1,5h de estudos, pode auxiliar na ponderação do que foi estudado, proporcionando uma melhor assimilação. A recuperação do foco está diretamente ligada ao esvaziamento da cabeça.

Entretanto, é importante ter consciência e força de vontade para proceder a rápida retomada dos estudos, pois a interrupção realizada de forma equivocada, pode ter efeito desastroso sobre a produtividade de tudo o que se planejou no início do dia, inviabilizando a consecução do objetivo proposto.

Para que a pausa não comprometa a continuidade e rendimento dos estudos, é importante que durante esse breve período não haja o envolvimento com atividades que possam prender a atenção, como televisão, internet, redes sociais, jogos e whatsapp ou outro comunicador de mensagens instantâneas. Assim, o impulso construído no início não deve ser desperdiçado aplicando-o em outra tarefa.

O ideal é que as pausas sejam momentos para relaxar, mas que possibilitem a rápida retomada dos estudos. Uma pequena movimentação como uma caminhada breve, beber um pouco de água, fazer alguns alongamentos são algumas opções para serem utilizadas como pausas. Um rápido cochilo, apesar de interessante, pode não ser bom para algumas pessoas, requerendo, portanto, muita cautela quanto a sua utilização nesses intervalos.

É importante salientar o caráter das pausas. Elas não devem ser um momento para diversão, mas sim para proporcionar a recuperação da energia e foco para mais um período de estudos. Portanto, as redes sociais, a diversão, jogos, devem ser reservados para outro momento após os estudos, quando podem ser utilizados sem que provoquem um sentimento de culpa.

Trabalho ativo

As tarefas passivas requerem um esforço bem maior se comparadas às ativas. Portanto, é bem mais fácil manter o foco, por exemplo, na escrita ao invés da leitura. Assim, as tarefas passivas se caracterizam por serem aquelas que exigem uma maior observação, enquanto que as ativas envolvem ação.

O aprendizado está diretamente associado à passividade, daí o fato de a maioria dos alunos enfrentarem bastante dificuldade para manter o foco durante mais de 1h de estudos. Portanto, para que o desempenho melhore, é primordial que essas atividades passivas sejam convertidas em ativas.

No que tange aos estudos, essa conversão da atividade passiva de leitura pode ser convertida em ativa por meio da leitura em voz alta ou fazendo registros das próprias observações e percepções da aula ou vídeo-aula. Uma outra opção é realizar a prática de exercícios e jogos de memorização.

Agendamento

Uma boa forma de estudar de maneira mais intensa é possuindo uma vida mais ativa. Portanto, para lidar com uma grande carga de estudos é importante equilibrá-la com os momentos de folga, para que assim não se estude dia e noite de forma ininterrupta e sem critério. Estudar de forma descontrolada, não é nem saudável nem produtivo. É preciso reservar um dia para estar com a família e os amigos, e fazer outras atividades. Esses momentos de lazer auxiliam na manutenção da sanidade, cujo ponto central é equilibrar os estudos com a vida social.

Não há comentários

Deixe uma resposta